Segunda-feira, 7 de Agosto de 2006

III - Diário de Maria

            … Cruza-se com o Duarte, o pai da sua filha. Maria não sabia ao certo o que fazer, nem sabia se ele lhe ia falar. Mas ele teve a decência suficiente para se aproximar dela:
            - Estás muito bonita! Sabias?
            A Maria, desviou a conversa:
            - Estou bem e a nossa filha, sim porque é uma menina. Nunca te importaste em saber!!!
            Por entre estas palavras acabaram por discutir e a Maria saiu de lá para não se chatear mais!
Desorientada, vai caminhado e cada vez mais se afasta daquele sítio que tanto a magoou neste momento, embora seja um local que gosta. Vai até à praia, o mar sempre a acalmou, sentou-se e fica ali a contemplar o mar. Na hora da partida, ao levantar-se, nota que está molhada, entra em pânico, as águas tinham rebentado. Dirige-se ao hospital e pelo caminho manda uma mensagem ao Miguel, ao rapaz que conheceu nestas últimas semanas.
            As contracções começavam a aumentar e os intervalos entre elas, tornava-se mais pequeno. Finalmente chegou ao hospital, completamente alagada em suor. De imediato, é levada para observações. Enquanto era observada e realizava a última ecografia, o Miguel chega e acaba e fica a seu lado.
            O tempo de espera para que a dilatação fosse a suficiente parecia sufocar a Maria que respirava a um ritmo muito acelerado, alternando entre alguns suspiros. O Miguel segurava-lhe na mão e limpava-a, manteve-se muito firme, a seu lado, uma óptima ajuda. As contracções eram cada vez mais seguidas e as forças já pareciam faltar a Maria mesmo antes de o parto se realizar. Eis que chegou ao momento, a Maria tenta com que com todas as suas forças consiga deitar ao Mundo a sua filha.
 
            - Vamos, força! – diz o médico – respire e faça mais força!
            - Calma Maria está quase, eu estou aqui a teu lado – Diz o Miguel.
 
            Mas nada que lhe dissessem conseguia abrandar a dor que tinha e a vontade de expelir aquele belo ser do seu ventre e ver a sua filha. E é num grande movimento de contracção que consegue dar à luz, os médicos agarram no bebé que começa a chorar.
 
            - Tem aqui uma bela menina, parabéns ao pai! – diz o médico ao Miguel, que segura a bebé nos braços e nem teve tempo para dizer que não era o pai.
 
            A Maria cai sobre a cama, sem sentidos. Os médicos agarram na cama e correm pelo corredor e desaparecem ao fundo…
RM
Sinto-me: Com muita energia

6 comentários:
De MB a 8 de Agosto de 2006 às 22:53
Oh my god... Fizeste-me recordar a minha história, até fiquei sem fôlego ao ler esta parte... Vê lá é se tratas bem da rapariga que filho/a sem mãe não pode ser. (Deve faltar um cadito de sal, normalmente quando estamos a cozinhar algo é isso que falta, quase sempre) Ehehehe...


De RM a 9 de Agosto de 2006 às 09:20
Miga o sal faz mal à saúde! Portanto vou usra flor de sal e bem pouco!!! LOL


De MB a 9 de Agosto de 2006 às 18:07
Oh my god...!


Deixar Marca no Diário

Eu

Setembro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


Ausências Recentes

Desabafo...

Perdoa-me...

Quero-te beijar...

Sozinho...

Sentir...

...

IX - Diário de Maria

VIII - Diário de Maria

VII - Diário de Maria

VI - Diário de Maria

Ausências Passadas

Setembro 2007

Agosto 2007

Maio 2007

Novembro 2006

Outubro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Estou a ouvir

Passaram por aqui