Segunda-feira, 13 de Novembro de 2006

...

Avançaram, abriram a porta o ar gélido daquele quarto chegou até ele, como que tentando petrificá-lo, para não dar aquele passo. Chegaram até ao corpo por identificar, destaparam-no e o Miguel, aí sim, ficou parado, não se moveu e simplesmente deslizaram-lhe pela face duas lágrimas...
-         Você está bem? – perguntou a enfermeira que o acompanhava.
O silêncio uma vez mais fazia parte do momento! Por fim, passados alguns segundos, o Miguel lança um enorme suspiro como que de alívio e diz: - Não é ela!!! Não é a pessoa que eu conheço. – e retira-se!
Nesse momento Miguel dirige-se para casa, contente, para contar a boa novidade, afinal ainda havia esperança!!! Ele entra em casa e rapidamente diz que a Maria afinal não estava lá morta. No entanto levantasse outra dúvida, continuavam sem saber do paradeiro dela. Até que a campainha de casa toca e desta vez sim era a Maria.
-         Maria estás bem? – Indagou a mãe!
-         Sim estou!!! Mas agora preciso descansar! Miguel precisamos de falar mais tarde!
-         Está bem!
 
E assim foi, a Maria foi para o seu quarto, tomou um banho e deitou-se sobre a cama!!! Esta sua ausência, tinha-lhe feito bem, tinha pensado sobre a sua vida, sobre o que queria e não queria, sobre a sua filha e finalmente tinha perdido todo o medo!
Lá em casa, as coisas tinham voltado ao ritmo normal! Mais tarde, Maria levantasse, procura entre as suas roupas um vestido que gostava muito e vestiu-o! Desce as escadas e tenta encontrar o Miguel, pede-lhe que meta a sua filha no carrinho e vão os três passear! Entraram num jardim que a Maria visitava muito e sentaram-se num banco de jardim, em frente a um lago, ouvia-se perfeitamente a água a cair, era totalmente relaxante, mas o momento foi interrompido pelo Miguel:
- Sabes tivemos todos muito medo, que te tivesse acontecido alguma coisa de mal!
- Não vou queria preocupar!
- Não há problemas!!! Sabes hoje à noite tenho uma surpresa para ti, já há algum tempo que espero por este momento, e levas a Lara connosco.
Neste tempo que se passou, o Miguel desenvolveu por aquele bebé um carinho tal que sempre a tratou como se filha dele se se tratasse!
E assim foi, como combinado, o Miguel às 20horas estava na casa da Maria para buscar as suas duas princesas! Ao entrar em casa, Maria já estava pronta e fez com que ele ficasse surpreso com a tal beleza que fazia acompanhar Maria, ela ostentava um vestido longo preto, bem junto ao seu corpo e com alguns brilhos, provocados pelas lantejoulas que o vestido tinha! No alto tinha o cabelo apanhado do qual saía os seu cabelo em lagos aspirais! Estava uma verdadeira senhora!
­- Estou surpreso! Estás linda! – diz o Miguel, que também não estava nada mal vestido, pois fazia-se acompanhar de um belo smoking, que lhe assentava perfeitamente no corpo, o cabelo com gel dando-lhe um toque mais “soft”. Miguel agarrou na Lara deu o braço à Maria e saíram os três. O Miguel tinha reservado um bar na praia só para eles. Um aspecto completamente romântico, veio de velas eu libertavam um aroma no ar perfeito, era a plena harmonia entre o espaço, as pessoas e os odores que pairavam!
A meio do jantar, já com a Lara a dormir, o Miguel teve a oportunidade que queria para fazer a revelação que guardou até este momento, ambos quiseres falar em simultâneo...
- Miguel acho que fiz mal aceitar este jantar! Mas mesmo assim decidi cá vir, somos amigos e vou-te agradecer para o resto da minha vida, um dia teres entrado para a minha vida e ter o privilégio de ser tua amiga, mas não te quero magoar...
- Mas eu não te pedi nada... -  e mete a mão no bolso!
- Eu sei mas antes que te antecipasses, precisava de dizer isto!!! És muito importante para mim e não te quero perder como meu amigo!
- Até parece que adivinhas o que ia fazer!
- Pois! Tu sabes bem o que passei e agora quero simplesmente viver com a minha filha, perdi os medos que tinha e tenho que aproveitar os momentos perdidos que tive!!!
            Obrigado por tudo! Quem sabe o que irá acontecer ainda??? – despediu-se com um beijo muito terno na face de Miguel. Agarrou na Lara e foi para perto do Mar. Os seus pés descalços beijavam a fina areia, sentou-se com a sua filha nos braços e ficaram ali as duas a desfrutar dos som das ondas a bater nas rochas...
 
            [Daqui para a frente a vida da Maria foi-se recompondo a cada dia que passava! A sua filha cresceu, as duas foram muito amigas, deram-se muito bem! E foram as duas felizes, ao lado da pessoa que a Lara sempre conheceu como seu pai!]
 
Fim
Sinto-me: Um Anjinho!!!

24 comentários:
De luiza a 13 de Novembro de 2006 às 13:01
Parabéns, muito bem terminado, uma maneira muito simples mas muito sentido.
Adorei o final, pena ja ter acabado.
Volto a dizer escreves muito bem e continua, com mais "diarios" assim, a encantar quem gosta de te ler.
jito


De RM a 13 de Novembro de 2006 às 14:28
Olá luiza obrigado pelas tuas palavras, sinceramente são palavras que em entusiasmam imenso e que me fazem continuar a escrever, mesmo com este ritmo de caracol que tenho levado! :S
Acho que já perguntei isto! Tens algum blog???


Deixar Marca no Diário

Eu

Setembro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


Ausências Recentes

Desabafo...

Perdoa-me...

Quero-te beijar...

Sozinho...

Sentir...

...

IX - Diário de Maria

VIII - Diário de Maria

VII - Diário de Maria

VI - Diário de Maria

Ausências Passadas

Setembro 2007

Agosto 2007

Maio 2007

Novembro 2006

Outubro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Estou a ouvir

Passaram por aqui